A NATUREZA ALGO INCOMPREENDIDA DO GATO

Gato

Sobre a natureza do gato, tem sido dito de tudo que é arisco e pouco sociável…. Mas nada mais longe da realidade. Tudo é fruto do nosso desconhecimento ou má interpretação dos sinais. É um ser peculiar, muitas vezes incompreendido, mas que no fundo esconde essa forma de ser que nos intriga, mas que adoramos, é uma personalidade forte e definida.

Esta imagem que se tem dos gatos muitas vezes causada pela (in)evitável comparação com o cão. Mas não existe similitude possível. São dois seres diferentes e não se podem equiparar.

O gato não é arisco, é precavido. E carinhoso.

O gato selvagem caça em solitário e ao mesmo tempo pode ser caçado por outras espécies maiores, por isso deve assegurar-se sempre que controla o território e que não existem perigos antes de atuar. Por isso, prefere observar desde uma esquina antes de se aproximar, investigar e certificar-se de que não existe nenhum perigo. Agora bem, uma vez que essa barreira seja ultrapassada, pode ser o animal mais carinhoso que já tenha conhecido. Isso sim, sempre de acordo com as suas regras. Pedirá atenção e mimos com o seu ronronar característico, mas será sempre ele (e não você) quem decide quando os quer.

O gato também é social. 

Muitas vezes diz-se que o gato não é um animal sociável. Mas isso não é correto. Ou seja, não são gregários mas podem criar vínculos afetivos fortes com outros gatos e com os seres humanos.

A domesticação do gato também selecionou animais tolerantes com outros gatos e com os humanos, favorecida por um ambiente no qual a comida não era escassa, o gato foi-se acostumando a partilhar o seu território com outros gatos e com os humanos, desfrutando também desta relação.

É importante que o processo de socialização com pessoas e outros gatos comece durante as primeiras 8 semanas de vida para conseguir um gato que desfrute das relações durante o resto da sua vida. Ainda assim encontramos diferenças genéticas no seu temperamento, já que nem todos os gatos apresentam o mesmo nível de tolerância social.

O gato é independente, mas não é solitário

Um gato é auto suficiente e socialmente flexível, pode estar bem sozinho em casa sem nós, mas desfruta da companhia do seu dono. Em geral, o proprietário deve permitir que seja o gato quem decida o grau de interação que quer com as outras pessoas com quem convive.

Devemos compreender que partilhamos o território com eles e, portanto, o respeito mútuo é a base de uma boa relação.

Para o seu interesse

O INSTINTO CAÇADOR DO GATO

Não existe nenhum gato que resista à emoção de espreitar e perseguir a sua presa. O seu instinto caçador mantém-se vivo.

PORQUE É QUE O MEU GATO SE ESCONDE EM LUGARES INVEROSÍMEIS?

Os gatos são bastante imprevisíveis e podem revelar-se individualistas ou sociais com pessoas ou outros gatos, e o seu comportamento pode mudar de um momento para outro. É com certeza por essa razão que adoramos observá-los.